Pesquisa Autores | Resultados | Ficha


PEREIRA JÚNIOR , José Mariaas (1841 - 1921)

José Maria Pereira Júnior (ou Pereira Cão) nasceu em Setúbal, a 21 de Fevereiro de 1841, na Freguesia de S. Julião, e foi baptizado a 19 de Março do mesmo ano. Um primo seu, pintor de azulejos, Mariano António Brandão (autor de parte dos azulejos da Igreja de São Pedro, em Palmela), convenceu o seu pai a mandá-lo para Lisboa para estudar nas Belas Artes, visto o jovem ter muita habilidade para o desenho. E com doze anos de idade, em 1853, Pereira Cão parte para a capital, frequentando o recém-criado Instituto Industrial, e a Academia de Belas Artes, em que estuda durante três anos, fazendo o curso nocturno. Durante o dia começou a trabalhar junto dos cenógrafos italianos Giuseppe Cinatti (1808-1879) e Achilles Rambois (c. de 1809- 1882), que tinham vindo para Portugal em meados da década de trinta, contratados por Fortunato Lodi, para trabalhar no novo Teatro de D. Maria II e no Teatro de São Carlos. Pereira Cão começou o seu percurso e carreira como cenógrafo, e depois foi chamado por ambos artistas italianos para os restauros do Palácio da Ajuda, que tinham de estar prontos a tempo do casamento do rei D. Luís I, com a princesa italiana D. Maria Pia de Sabóia. Na Primavera e Verão pintava e decorava palácios e palacetes, no Inverno trabalhava como cenógrafo. Pintou do Minho ao Algarve, mais de cem edifícios, entre palácios, palacetes, teatros, igrejas e capelas. A partir de meados da década de 80 começa a dedicar-se à produção de azulejaria, o que faz na segunda metade da sua vida, ao mesmo tempo que prossegue os seus trabalhos como pintor-decorador. O primeiro trabalho que fez neste campo, foi a pintura dos Painéis de Santa Auta (realizado a partir da tela que se encontrava então no Museu de arte Ornamental, actual Museu Nacional de Arte Antiga), colocados na Igreja do Convento da Madre de Deus, edifício religioso que restaurou ao lado de outros artistas. Teve como discípulos Eloy Ferreira do Amaral, Basalisa, Caetano Alberto Nunes, Victoria Pereira (o seu genro, e militar de carreira) e Jorge Maltieira, entre outros. Tinha várias condecorações e foi agraciado com o Grau de Cavaleiro da Ordem de Cristo pelo decreto de 18 de Julho de 1889. Participou na Exposição Universal de Paris de 1889, onde decorou o pavilhão português, trabalho pelo qual foi premiado com medalha de ouro, e viajou por países como Espanha, França, Bélgica, Itália, Grécia e Inglaterra, para se documentar sobre as mais recentes técnicas da pintura decorativa. [Miguel Montez Leal]

Especialização: Pintor


Cronologia

- 1841-00-00 [Nascimento]
Teve como padrinho Manoel Severo Correia de Brito Guedes, Cavaleiro das Ordens de Cristo e da Conceição e, como madrinha, Nossa Senhora do Parto. Filho de José Maria Pereira (Sénior), nascido também em Setúbal, em 1804, militar apoiante da causa miguelista, e após a derrota e exílio de D. Miguel, construtor-civil, e de D. Rosalina de Jesus Costa, nascida em 1809, natural de Pedrouços (Cascais). Os seus avós maternos eram o Major António Luís da Costa, Governador da Fortaleza de S. Filipe (em Setúbal), que fez parte da Legião Portuguesa que foi à Rússia durante a época napoleónica, e D. Francisca Rosa das Chagas.

- 1921-00-00 [Morte]


Obras neste inventário
Revestimento cerâmico do acesso central ao claustro
(Hospital de São José, Lisboa)
Pintor, Atribuído - parede 1, secção 1 - 2, parede 2, secção 1, secção 3, parede 3, secção 1 - 2, ]1996] VELOSO e ALMASQUÊ - Hospitais Civis (...), p.55).




Outros autores relacionados

- PEREIRA, José Estevam Cacella de Victoria (1877-1952)
Tipo de relação: Mestre / Discípulo