Pesquisa Autores | Resultados | Ficha


P.M.P.s, Mestres
Pintor de nome convencional que assinava as suas obras com as iniciais que o notabilizaram, o mestre "P.M.P." desenvolveu actividade conhecida entre a segunda e a terceira décadas do século XVIII, mas é possível que tenha estado activo desde o início da centúria, inscrevendo-se no designado Ciclo dos Mestres. Assinou, em 1713, os painéis provenientes do Convento de Nossa Senhora da Subserra (actualmente aplicados na Quinta de São José do Marco, na Castanheira do Ribatejo) e os da capela-mor da Igreja do Terço de Barcelos, assim como o conjunto azulejar da Casa do Corpo Santo, em Setúbal, de cerca de 1714. Da sua obra assinada, constam ainda as salas do Palácio dos Marqueses de Olhão, em Lisboa, mas o azulejo onde se encontravam as inicias desapareceu. Santos Simões ainda o viu, mas já separado dos painéis (SIMÕES - Azulejaria em Portugal no século XVIII, p. 36). Muitas têm sido as tentativas de identificar o mestre "P.M.P." com algum pintor activo neste período, mas, até ao momento, nenhuma se revelou positiva. A mais aproximada, mas que, em todo o caso, tem originado alguma discussão, é a proposta de Luísa Arruda, que procurou fazer corresponder as iniciais ao nome do Padre Manuel Pereira, freire oratoriano e Capelão da Rainha, arquitecto amador e eventualmente pintor, associado a uma grande oficina lisboeta (ARRUDA - Azulejaria barroca [...]; ARRUDA, COELHO - Convento de S. Paulo [...], p. 38). Esta hipótese tem vindo a ser corroborada, embora com algumas reticências, por Vítor Serrão, depois da descoberta da documentação que associa o padre ao ladrilhador António Antunes e ao pintor de azulejos Dionísio Pacheco, ou seja, a uma oficina lisboeta activa na transição para o século XVIII (SERRÃO - História da Arte em Portugal [...], p. 221). O mestre "P.M.P." aparece muitas vezes como colaborador secundário de outros mestres, como António de Oliveira Bernardes (MECO - O Azulejo em Portugal, p. 226) de quem acusa a influência (SIMÕES- Azulejaria em Portugal no século XVIII, p. 36) nas suas obras, as quais se distinguem-se dos restantes mestres contemporâneos pelo seu cariz mais decorativista, retratando cenas do quotidiano da nobreza. [RSC]

Especialização: Pintor


Cronologia

- 1713-00-00, c. 1713 [Revestimento cerâmico - assinado]
Barcelos, Igreja do Terço

- 1714-00-00, c. 1714 [Revestimento cerâmico - assinado]
Setúbal, Casa do Corpo Santo

- 1714-00-00 [Revestimento cerâmico - assinado e datado]
Vila Franca de Xira, Convento de Nossa Senhora da Subserra [actualmente na Castanheira do Ribatejo]

- 1714-00-00 [Revestimento cerâmico - assinado e datado]
Aldeia da Serra, Convento de São Paulo da Serra de Ossa, Igreja

- , Século XVIII, primeiro quartel [Revestimento cerâmico - assinado]
Lisboa, Palácio dos Marqueses de Olhão


Obras neste inventário
Revestimento cerâmico do claustro
(Universidade de Évora, Évora)
Pintor, Atribuído


Revestimento cerâmico do arco trinfal
(Igreja de Nossa Senhora da Consolação, Estremoz)
Pintor, Atribuído - [1993] MECO - O azulejo em Portugal, p. 224, cercaduras e rodapés; [1999/2000], TORRINHA - A presença de António de Oliveira Bernardes [...], p. 225, cercaduras


Revestimento cerâmico da capela-mor com cenas alusivas à Ordem de Santo Agostinho
(Igreja de Nossa Senhora da Consolação, Estremoz)
Pintor, Atribuído - [1993] MECO - O azulejo em Portugal, p. 224, cercaduras e rodapés; [1999/2000], TORRINHA - A presença de António de Oliveira Bernardes [...], p. 225, cercaduras


Revestimento cerâmico da Sala de Diana
(Palácio dos Condes de Óbidos, Lisboa)
Pintor, Atribuído - (1989] MECO, O azulejo em Portugal, p. 228


Revestimento cerâmico da escadaria
(Palácio dos Marqueses de Minas, Lisboa)
Pintor, Atribuído - [1993] ARRUDA, p. 92; [1985] MECO - Azulejaria Portuguesa, p. 52; [1986 [1989] MECO - O azulejo em Portugal, p. 227; [2009] MECO - "Azulejo", Arte [...], p. 130


Revestimento cerâmico da sala dos Medalhões
(Palácio dos Marqueses de Minas, Lisboa)
Pintor, Atribuído - [1993] ARRUDA, p. 92; [1985] MECO - Azulejaria Portuguesa, p. 52; [1986 [1989] MECO - O azulejo em Portugal, p. 227; [2009] MECO - "Azulejo", Arte [...], p. 130


Revestimento cerâmico da sala das Batalhas
(Palácio dos Marqueses de Minas, Lisboa)
Pintor, Atribuído - [1993] ARRUDA, p. 92; [1985] MECO - Azulejaria Portuguesa, p. 52; [1986 [1989] MECO - O azulejo em Portugal, p. 227; [2009] MECO - "Azulejo", Arte [...], p. 130


Revestimento cerâmico do arco triunfal e da capela-mor
(Igreja de São Tiago e São Mateus / Matriz do Sardoal, Sardoal)
Pintor, Atribuído - [1979] SIMÕES - Azulejaria em Portugal no século XVIII, p. 355, refere uma aproximação à obra de P.M.P.


Revestimento cerâmico da Capela de Nossa Senhora das Dores
(Igreja do Convento de São Francisco, Lamego)
Pintor, Atribuído - [1979] SIMÕES - Azulejaria em Portugal no século XVIII, p. 119


Revestimento cerâmico da portaria
(Convento de São Paulo - Hotel Museu da Serra d´Ossa, Aldeia da Serra, Redondo)
Pintor, Atribuído - [2004] ARRUDA; COELHO - Convento de S. Paulo [...], p. 46


Revestimento cerâmico da nave da igreja
(Igreja)
Pintor, Houve um azulejo desaparecido, de origem desconhecida, onde se viam as iniciais de P.M.P. | [2004] ARRUDA; COELHO - Convento de S. Paulo [...], p. 35; [1986] MECO - O azulejo em Portugal, p. 228; [2009] MECO - Azulejo [...], p. 130; [2003] SERRÃO - Barroco, p. 222


Revestimento cerâmico da ante-sacristia
(Convento de São Paulo - Hotel Museu da Serra d´Ossa, Aldeia da Serra, Redondo)
Pintor, Atribuído - [2004] ARRUDA; COELHO - Convento de S. Paulo [...], p. 65 e ss.; [2009] MECO - Azulejo [...], p. 130


Revestimento cerâmico da escadaria
(Convento de São Paulo - Hotel Museu da Serra d´Ossa, Aldeia da Serra, Redondo)
Pintor, Atribuído - [2004] ARRUDA; COELHO - Convento de S. Paulo [...], p. 65 e ss.; [2009] MECO - Azulejo [...], p. 130


Revestimento cerâmico do átrio superior
(Convento de São Paulo - Hotel Museu da Serra d´Ossa, Aldeia da Serra, Redondo)
Pintor, Atribuído [ou a colaborador] - [2004] ARRUDA; COELHO - Convento de S. Paulo [...], p. 72


Revestimento cerâmico da capela-mor da igreja
(Igreja)
Pintor, Atribuído - [2004] ARRUDA; COELHO - Convento de S. Paulo [...], p. 41


Revestimento cerâmico da capela
(Edifício na Rua do Seminário, n.º 7 [imóvel desaparecido], Lisboa)
Pintor, Atribuído - [1972] SIMÕES - A Azulejaria em Portugal no século XVIII, 2010, p. 356


Barra em tons de azul e branco, com bordos azuis, friso e folhagem e friso branco ou sem bordos. Desenvolve continuamente vários enrolamentos de acanto (folhagem e flores), sombre(...))
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Barra vertical, em tons de azul e branco, com bordos azuis, friso e folhagem e friso branco ou sem bordos. Desenvolve enrolamentos de acanto (folhagem e flores), onde se apoiam fi(...)(Edifício da Sociedade Filarmónica e Artística Estremocense)
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Centro em tons de azul e branco, dispondo mascarão envolto por motivos a simular "ferronneries", ladeados por figuras infantis aladas e sentadas, cujos braços se entrelaçam nas "f(...))
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Centro em tons de azul e branco, dispondo mascarão envolto por motivos a simular "ferronneries", onde se entrelaçam as folhagens de acanto da barra. NOTA: este centro pode ter ou (...))
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Centro em tons de azul e branco, dispondo mitra segura, lateralmente, por figuras infantis aladas e sentadas. NOTA: este centro pode ter ou não bordos.)
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Centro em tons de azul e branco, dispondo coroa segura, lateralmente, por figuras infantis aladas e sentadas.uperior - centro 02). NOTA: este centro pode ter ou não bordos.)
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Canto [inferior] em tons de azul e branco, dispondo figura feminina desnuda, sentada, segurando sobre acabeça os enrolamentos de acanto da barra. NOTA: este canto pode ter ou não (...))
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Canto [superior] em tons de azul e branco, dispondo figura infantil alada, sentada, empurrando os enrolamentos de acanto da barra. NOTA: este canto pode ter ou não bordos. )
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2


Canto [superior] em tons de azul e branco, dispondo enrolamentos de acanto que fazem a ligação com a barra. NOTA: este canto pode ter ou não bordos. )
Pintor, Assinado - Barcelos, Igreja de Nossa Senhora do Terço, capela-mor, parede 1, nível 2, secção 2




Referências Bibliográfias - Monografias